4 passos simples para você organizar o orçamento doméstico

Descubra 4 passos simples para você organizar o orçamento doméstico, lendo o nosso texto a seguir!
Publicidade
Publicidade

Organizar as finanças domésticas é um passo muito importante para poupar dinheiro. No entanto, não é algo que acontece de uma hora para outra, sendo necessário criar bons hábitos financeiros e ter persistência nos objetivos.

Se você quer fazer o seu dinheiro render e não ter mais problemas com dívidas, a única saída é gastar menos do que ganha. Mas para fazer isso, é preciso pôr tudo na ponta do lápis e analisar o seu orçamento doméstico. Confira ao longo do nosso texto, 4 passos simples para você organizar o orçamento doméstico:

Saiba como você pode organizar seu orçamento doméstico a partir de 4 passos simples 

Orcamento Familiar
4 Passos Simples Para Você Organizar O Orçamento Doméstico 2

Planejamento 

O primeiro passo de toda organização financeira é realizar um planejamento, o qual consiste em estimar as receitas e despesas do período. Para isso, você deverá listar todas as receitas e despesas para ajudar a prever os gastos futuros. 

Contudo, inicialmente, será necessário diferenciar as receitas e despesas fixas das variáveis.

  • Receitas fixas: São receitas que não variam ou variam muito pouco, como o valor do salário, da aposentadoria ou de rendimento do aluguel;
  • Receitas variáveis: São aquelas cujos valores variam de um mês para o outro, como os ganhos de comissão por vendas;
  • Despesas fixas: São despesas que não variam ou variam muito pouco, como o aluguel, a prestação de um financiamento, etc;
  • Despesas variáveis: São aquelas às quais os valores se alteram de um mês para o outro, como as contas de luz e água, que sofrem mudanças conforme o consumo.

Vale destacar que há compromissos que acontecem de tempos em tempos, como pagamento de impostos, seguros, entre outros. Dessa forma, se faz necessário sempre lembrar desses valores também.

Registro

Para ter um controle mais eficiente das suas finanças, é necessário anotar todos os seus gastos, de preferência diariamente, para evitar o esquecimento. Para auxiliar nessa dica, confira algumas sugestões:

  • Anote todos os gastos;
  • Confira os extratos bancários e as faturas de cartões de crédito;
  • Guarde as notas fiscais e os recibos de pagamento;
  • Guarde os comprovantes de utilização de cartões;
  • Diferencie as várias formas de pagamentos e desembolsos, separando-as em dinheiro, débito e crédito.

Agrupamento

Após algum tempo de registro, você irá perceber que as anotações são muitas. Desse modo, será preciso que você as agrupe conforme alguma característica similar. Por exemplo: despesas com alimentação, habitação, transporte, com lazer, etc.

Vale lembrar que, essa não é a única forma de agrupar as despesas, sendo possível utilizar outros tipos de agrupamento que sejam mais adequados à sua realidade.

Esses agrupamentos facilitam a verificação da parcela do salário ou da renda que é gasta em cada grupo de itens, auxiliando nos ajustes ou cortes que eventualmente sejam necessários.

Avaliação 

Ao chegar nessa etapa, você deverá avaliar como suas finanças se comportam ao longo do mês, agindo de forma correta e preventiva para que seu salário e sua renda proporcionem o máximo de benefícios, conforto e qualidade de vida para você.

Para auxiliar, verifique algumas questões:

  • Você gastou menos, o mesmo ou mais do que recebeu?
  • Quais são seus sonhos e suas metas financeiras? Precisam de curto, médio ou longo prazo? São compatíveis com o seu orçamento? Tem separado recursos financeiros para realizá-los?
  • É possível reduzir gastos desnecessários? Observe os pequenos gastos, pois a soma de muitos “poucos gastos” pode ser bem relevante.
  • É possível aumentar as receitas?

Fique atento aos gastos fixos

Para que sua organização financeira doméstica dê certo, é importante ficar atento aos gastos fixos que sua residência possui. 

Segundo o professor Samy Dana, da Fundação Getúlio Vargas, as despesas fixas, como supermercado, água, luz, plano de saúde, internet, entre outros, devem estar limitadas a 50% da renda, pois, caso esteja muito acima disso, é hora de repensar o padrão de vida para adequar a realidade financeira.

Caso você e sua família estejam temporariamente endividados, é possível cortar despesas supérfluas para resolver esse desajuste. No entanto, se os gastos fixos consomem a maior parte da renda mensal, é sinal que a família está vivendo acima do padrão de vida adequado.

Para organizar-se de forma eficiente, deve-se reduzir esses gastos para poupar ao menos 10% da renda todo mês.

Últimos Artigos

Procurando Cartão…

0