Sem dinheiro, dá para ensinar finanças para as crianças?

Leia o texto a seguir e descubra se dá para ensinar finanças para as crianças!
Publicidade
Publicidade

É de extrema importância ensinar educação financeira para as crianças desde cedo. Muitas pessoas não tiveram a oportunidade de aprender sobre finanças na escola, visto que o Brasil ocupa a 74º posição no ranking de educação financeira entre 144 países.

Dessa forma, os pais devem ter papel ativo na aprendizagem financeira dos filhos, por isso, é essencial que você consiga ensinar desde cedo sobre o assunto para a criança. Pensando em te auxiliar em situações como essas, trouxemos algumas dicas. Confira:

Sem dinheiro, dá para ensinar finanças para as crianças?

Educa O Financeira Para Crian As1
Sem Dinheiro, Dá Para Ensinar Finanças Para As Crianças? 2

Para que as crianças se tornem adultos responsáveis, é de extrema importância a educação financeira desde cedo. Especialistas em finanças pessoais indicam que o melhor momento para ensinar sobre o dinheiro é na primeira infância, entre os 3 e 5 anos. 

Desse modo, você pode começar ensinando sobre o valor das coisas. Além disso, para se ter uma ideia, 94% dos jovens de 15 anos de 20 países disseram que, quando o assunto é dinheiro, os pais são a principal referência – à frente até mesmo da internet, a qual representa 77% desse tipo de aprendizagem em suas vidas.

Desse modo, pode-se perceber que é essencial ter um papel ativo na educação financeira dos filhos. Então, para que você consiga ensinar desde cedo a criança sobre o assunto, traremos algumas dicas de como ensinar finanças sem utilizar o dinheiro.

Confira dicas para educar seu filho financeiramente sem usar dinheiro

Ao educar uma criança, é importante pensar em como esta será em um futuro bem próximo, como ela vai lidar e encarar os desafios da vida e, consequentemente, como será sua relação com o dinheiro.

Para isso, é importante entender quais são as habilidades necessárias para que seu filho lide com o dinheiro na fase adulta.

Sendo assim, deve-se pensar quais são os hábitos e o que temos que aplicar na nossa vida que podemos passar para os nossos filhos, como, por exemplo, fazer dinheiro, economizar, não gastar mais do que ganha e saber investir.

Também é importante que você tenha uma relação boa com o dinheiro, pois os filhos tomam seus pais como exemplo.

Aprendizagem com base em projetos

Suponhamos que a criança tem um desejo por um videogame, jogo, ou seja, ela quer conquistar algo. Para trazer isso para a educação financeira do seu filho, você poderá ajudá-lo a criar um planejamento para que seu filho consiga conquistar o que ele deseja.

Para isso, é possível ensiná-lo como ele poderá planejar e se organizar financeiramente a partir de um processo. Dentre as diversas coisas que podem ser ensinadas através desse exemplo, podemos citar o que a criança pode fazer para conseguir o dinheiro para conquistar seu objetivo.

Como opções podemos pensar o seguinte: ela venderá algo?; renunciará a algum brinquedo? Outra coisa a se pensar é o modo como ele guardará o dinheiro para comprar o que deseja, sendo possível fazer uma alusão com a vida adulta, onde tudo tem um tempo e um custo.

Aprender se expondo ao ambiente de compras

Nessa dica, você deverá inserir o seu filho no dia a dia da casa para que eles entendam o processo, como, por exemplo, uma ida ao mercado, onde você poderá mostrar para eles o orçamento, a lista de compras, o valor limite para gastar, etc.

Também é importante conversar e explicar para seus filhos sobre os gastos da casa, dividir com eles sobre quanto será preciso para pagar tal conta.

Tudo isso depende do dia a dia da casa, sendo importante analisar onde é possível inserir seus filhos para que eles possam aprender sobre finanças, conversando sobre o custo das coisas e tomando decisões em conjunto.

Crie atividades que vão gerar pontos

Nessa dica, será preciso que você crie atividades que vão gerar pontos que podem ser convertidos em pagamento, como passeio com os cachorros, auxílio em algumas atividades, como lavagem do carro da família, ir até o mercado, favores do dia a dia.

Vale destacar que você não deve bonificar hobbies, pois é algo que é motivador para eles, para fazer eles se desenvolverem. Caso você faça isso, eles irão inverter os valores, dessa forma, é importante esclarecer o que não é obrigação deles, o que não é lazer, bem como quais são as atividades que eles podem participar para ganhar pontos.

Últimos Artigos

Procurando Cartão…

0